terça-feira, 30 de maio de 2017

A IDADE DA SAUDADE


A saudade se encosta na memória
e se elege guardiã de sentimentos
entre eles uma súmula da história
relativa a meus líricos momentos.

Saudade de jamais ter visto glória
por amar sem doer padecimentos
saudade de vencer sem ter vitória
qual a alegre cigarra nos relentos.

Saudade das saudades de te amar
à sombra do vinhedo e no pomar,
saudade do que quis e que não fiz.

Saudade que se mata sem morrer
saudades com saudades de te ver
mais saudoso e capaz de ser feliz.

Afonso Estebanez

Um comentário:

Regina Carvalho disse...

Bonito demais! Beleza faz assim comigo Dói no coração e na alma Obrigada por isso, Amigo