quarta-feira, 5 de abril de 2017

LEGADO EM EXTINÇÃO


Relendo minhas cartas do passado
trocadas entre o amor e o coração,
percebo um outro estilo imoderado
declarando meu talho em extinção.

A despeito de antigo ou desbotado
meu caderno escolar detém noção
de que o amor começa ponderado
para depois queimar-se de paixão.

A idade foi levando meus carteiros
como a tinta aspirada dos tinteiros
da carta que não pude responder.

Quiçá meu coração ainda se sinta
tal como espécie afeta não extinta
com o instinto indomável de viver.

Afonso Estebanez
(Soneto que dedico a notável amiga e poetisa
Antônia Albuquerque
por reconhecimento do mérito na divulgação
de sua arte poética pelo país.
Em 05.04.2017

Um comentário:

O som da essência disse...

Caro amigo poeta Afonso Estebanez ,fico muito feliz por essa belíssima obra,muito obrigada pelo carinho de sempre comigo. Forte abraço em poesia.