quinta-feira, 27 de abril de 2017

BRECHÓ DA ALMA


Sapato velho é um caminho andado
relembrado na sola de uma história
portanto não convém seja ignorado
como um fado perdido na memória.

Não joguem fora um livro desusado 
sem lembrar se contém dedicatória
a alguém que faça parte do passado
que se apegou à uma paz simplória.

Meu coração tem eu e meus porões,
meu armário está cheio de emoções
por cartas devolvidas sobre a mesa.

Hei dobrado meus trapos na gaveta
vejo os dias sumindo na ampulheta
e com eles meus fardos de tristeza!

Afonso Estebanez
(27.04.2017)

Um comentário:

Regina Carvalho disse...

Falou a alma a poesia do coração! Lindo, meu Amigo!