domingo, 14 de fevereiro de 2010

O POETA E A LOUCURA QUÂNTICA

Há muito sofrimento neste mundo.
O poeta escala o fundo da alvorada
e dela vai a um despertar profundo
de outra vida que é sua dor calada.

O poeta vai aos campos de batalha
armado com o instinto de uma flor,
e na frente de luta o poeta espalha
seus cânticos de guerra com amor.

O poeta vai aos campos de centeio
e tira o joio enquanto colhe o trigo
que doa como pão partido ao meio
para a missa de paz com o inimigo.

Todo poeta é um louco concebível,
é um mago e sua quântica loucura
em que o eterno pode ser possível
na dimensão possível da ternura...

Afonso Estebanez

2 comentários:

Rafaelle Melo. disse...

"(...) Todo poeta é um louco concebível,(...)"


Que bem faz essa loucura! Para quem escreve e para quem tem a graça de ler!

Nancy Amorim disse...

Estou apaixonada por este seu blog...Sinto na alma a magia dos encantos poéticos!!! Os poetas são loucos pelo amor a poesia!Parabéns querido amigo Estebanez!!!