quarta-feira, 29 de outubro de 2008

SEGREDOS DA INSÔNIA I


SEGREDOS DA INSÔNIA
I

Até que a noite faça agonizar-me o sono
meu coração ainda insiste em pressentir
ruídos de batidas nos porões da insônia...
Mas sei que me é possível resistir!

São pesadelos reencarnados do passado
morto... Fantasmas de navios ancorados
nos cais abandonados das ilhas de mim...
E sei que me é possível resistir!

Até que em morte acorde e eu adormeça
ainda sinto adormecidas sensações de ti...
De um lugar assombrado em minha vida
de onde sei que é possível resistir!

Ô, mulher-menina que perdi na infância
canção de bem-querer do quanto padeci...
Uma certa saudade vadia sem distância
e ainda assim me é possível resistir!

A. Estebanez

3 comentários:

A cria de Saturno disse...

Simplesmente preciso!

Anônimo disse...

Magnífico!!!! vc conseguiu me satisfazer com tamanha sensibilidade ao usar as palavras de maneira clara e poética a cerca da insônia...da sua insônia! Adorei!!

Paulo POTT disse...

Fantástico...